Notícias

Pedro Taques comemora aprovação do piso salarial para agentes comunitários de saúde

22/05/2014 às 11:37

Pedro Taques comemora aprovação do piso salarial para agentes comunitários de saúde

 O senador Pedro Taques (PDT-MT) comemorou a aprovação, nesta quarta-feira (21), do piso salarial de R$ 1.014 para os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, com jornada de 40 horas semanais, em todo o país (SCD 270/2006). Durante a votação, o mato-grossense reafirmou seu apoio à proposta que agora segue para sanção presidencial.

“Estes profissionais desempenham um trabalho de fundamental importância. A aprovação do projeto tem impacto direto na melhoria da saúde pública, já que esses profissionais lidam diretamente com o cidadão em um trabalho de atenção básica e medicina preventiva. É obrigação do Congresso reconhecer isso”, afirmou Pedro Taques.

Além de fixar o piso de R$ 1.014 para 2014, a proposta, prevê que, a partir de janeiro de 2015, o valor será reajustado por meio de decreto do Executivo. A forma do reajuste foi modificada em relação ao texto aprovado na Câmara, que previa uma atualização do valor vinculada ao Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. A sistemática seria, assim, a mesma aplicada ao salário mínimo atualmente. De acordo com a proposta da Câmara, os valores também seriam corrigidos anualmente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Para ajudar no pagamento dos novos salários, o projeto atribui à União a responsabilidade de complementar 95% do piso salarial. Em decreto, o Executivo federal poderá fixar a quantidade máxima de agentes que poderão ser contratados com o recebimento do auxílio financeiro da União.

A carreira de agentes comunitários foi regulamentada pela Lei 11.350/2006, que permitiu a regularização dos funcionários contratados no âmbito da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e estabeleceu as diretrizes para contratação nos estados e municípios.

Planos de carreira - O projeto dá o prazo de 12 meses, contados da publicação da futura lei, para que estados, Distrito Federal e municípios elaborem ou ajustem os planos de carreira dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias segundo as novas diretrizes estipuladas no texto. Entre essas diretrizes estão: remuneração desses agentes; definição de metas; critérios de progressão e promoção; e adoção de modelos e instrumentos de avaliação adequados à natureza das atividades.

A partir da nova lei, a contratação temporária ou terceirizada desses agentes, permitida pela Lei 11.350/06, poderá ocorrer somente no caso de combate a surtos epidêmicos – quando uma doença de caráter transitório ataca grande número de pessoas em um local ao mesmo tempo. Atualmente, a contratação é permitida apenas para surtos endêmicos – quando uma doença infecciosa ocorre habitualmente e com incidência significativa em certa região (malária na Amazônia, por exemplo).

Fonte: Assessoria com Agência Senado

Fale Conosco

Gabinete

Praça dos Três Poderes
ala Senador Afonso Arinos
Anexo II - Gabinete 04
CEP: 70165-900 Brasília - DF
(61) 3303-6551

Escritório de Apoio

Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 2254. 10° Andar, sala 1001. Edifício America Business Center. CEP: 78050-000
(65) 3623-0123
(65) 3623-1212

Sitevip Internet